23/11/2011

Valentino lança museu virtual

Espaço online terá mais de 300 vestidos dos 50 anos de carreira do estilista

Projeto do museu virtual de Valentino (Reprodução)

Valentino Garavani (o famoso estilista dos vestidos vermelhos) e seu parceiro de longa data, Giancarlo Giammetti, estão prestes a lançar um projeto um tanto revolucionário. Trata-se do Valentino Garavani Virtual Museum, um aplicativo para computador que permite ao usuário fazer uma verdadeira imersão no universo do estilista transformado num imenso museu virtual.
Com data de lançamento prevista para o dia 5 de dezembro, o projeto vai cobrir os 50 anos de carreira do estilista responsável por vestir algumas das mulheres mais importantes do século 20. Aposentado da moda desde 2008, Valentino também está disponibilizando hoje (21/11) todo o arquivo de sua marca no site valentino-garavani-archives.org.

Site de arquivo da grife Valentino (Reprodução)

O próximo passo, então, será oferecer, a seus fãs e estudantes de moda do mundo todo, acesso irrestrito também aos mais íntimos detalhes de suas principais e mais emblemáticas criações.

Interior do museu virtual de Valentino (Reprodução)

Criado a quarto mãos, por Valentino, Giammetti e as agências NovaCom Assocei-Paris e a londrina Kinmonth-Monfreda Design Project, o museu virtual usa a mais avançada tecnologia 3-D para uma maior aproximação com a realidade. Assim, os usuários poderão “caminhar” por espaços com arquitetura típica romana (como direito até a iluminação à la chiaroscuro), numa área correspondente a quase 10.000m2. Nas diversas alas e galerias, encontram-se mais de 300 peças icônicas do estilista, as quais foram scanneadas em 360º para permitir uma inspeção mais aproximada (diz que dá para ver até detalhe de costura). Num segundo clique, ainda é possível conhecer mais sobre a história da peça em questão – quem vestiu, quando foi criado, a que coleção pertence, além de campanhas e editoriais na qual foi incluída.
E o lançamento do Valentino Garavani Virtual Museum não podia ter timing melhor. Algo interessante está acontecendo com a moda nos últimos anos. Seu status pop vem crescendo a tal ponto que as restritas salas de desfiles já não dão conta da saciar a fome do público pelo assunto. Daí (ou pelo menos em parte) o crescente número de exposições da área nos mais respeitados e importantes museus do mundo. Porém, a moda enquanto arte aplicada, isolada em cubos de vidro ou estáticas em manequins sem vida, não carrega a mesma força de expressão de quando vista ao vivo, a cores e, principalmente, em movimento.
Coco Chanel já dizia: “Uma moda que não chega às ruas não pode ser considerada moda”. Pensando por aí, a moda sem um corpo (para a vestir e a movimentar) também não pode ser considerada uma experiência fashion por completo. Justamente por isso, o novo projeto do aposentado estilista Valentino Garavani promete ser tão revolucionário. Apesar de não proporcionar uma experência real com as peças, permite uma compreensão muito mais completa do que um simples mostruário cercado com cordas de veludo. Afinal, você pode, quase que literalmente, mergulhar dentro da peça e sua história.

Materia enviada por Eneida Quadros Queiroz

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget