28/05/2010

Fórum Nacional de Museus

Nas vésperas da Assembléia Estadual do RJ para o Fórum Nacional de Museus ainda não há nada sobre o fórum no site do IBRAM... mas olhem o que eu encontrei no blog http://caminhosdosmuseus.wordpress.com Só não sei de onde que eles tiraram isso, tem até link pra baixar a ficha de submissão de trabalho...


A partir do dia 1º de junho, estarão abertas as inscrições para as Comunicações Coordenadas do 4º Fórum Nacional de Museus, promovido pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC).

O tema do 4º Fórum será “Direito à Memória, Direito a Museus”, e os trabalhos devem seguir a mesma temática. Serão aceitos dois formatos de apresentação: comunicações coordenadas (orais com abertura para discussão ao final) ou painéis (por meio de posteres). Uma comissão avaliará os trabalhos, seguindo critérios de clareza, consistência e pertinência ao tema.

Os trabalhos devem ser enviados, juntamente com a ficha de inscrição, para o endereço: forumnacionaldemuseus@museus.gov.br, com o título de “Inscrição de Trabalhos 2010″.

É importante observar as seguintes regras para o envio de trabalho:

a) O resumo expandido deve ter no máximo uma lauda;
b) As referências podem estar numa segunda lauda, seguindo as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT);
c) A fonte utilizada deve ser Times New Roman, 12, espaçamento simples;
d) Margens superior, inferior, esquerda e direita deverão ser de 2,5;
e) Alinhamento do Texto deve ser justificado;
f) O título deve ser em negrito, com letras maiúsculas, centralizado e com, no máximo, 100 caracteres, incluindo os espaços.
g) Após o título deverá ser deixada uma linha em branco.
h) O nome do autor deve vir logo em seguida, separado por
vírgula de sua formação e instituição. Em caso de mais de um autor, os nomes deverão estar cada um em uma linha.
i) Após o nome do autor deve ser deixada uma linha em branco.
j) Não serão permitidas imagens no resumo expandido. Entretanto, poderão ser apresentadas durante as Comunicações Coordenadas e Painéis.
k) No resumo deve constar o objeto, os objetivos, a metodologia e os
resultados da pesquisa.

O Fórum Nacional de Museus é realizado a cada dois anos e tem o objetivo de mobilizar, refletir, avaliar e estabelecer diretrizes para a Política Nacional de Museus. Pretende apresentar e discutir os principais temas de interesse do setor, promovendo o intercâmbio de experiências entre a comunidade museológica, a sociedade civil, os museus e órgãos de gestão museológica federais, estaduais e municipais. Nesta edição, serão elaboradas e aprovadas as diretrizes do Plano Nacional Setorial de Museus.

O 4º Fórum Nacional de Museus acontecerá em Brasília, no período de 12 a 17 de julho. Mais informações serão divulgadas nos próximos boletins eletrônicos e no site do Ibram www.museus.gov.br

Ficha de Inscrição para Submissão de Trabalhos:
http://www1.museus.gov.br/IBRAM/doc/FICHA_DE_INSCRICAO_PARA_SUBMISSAO_DE_TRABALHOS_AS_COMUNICACOES_COORDENADAS_E_AOS_PAINEIS.pdf

26/05/2010

'Museus, Biodiversidade e Sustentabilidade Ambiental'



Atenção,
As vagas para o evento estão sendo preenchidas rapidamente.
Para confirmar sua inscrição no Simpósio, aconselhamos efetuar o pagamento bancário e enviar confirmação do depósito, com a maior brevidade, para o email simposio.junho2010@gmail.com

Simpósio Internacional
'Museus, Biodiversidade e Sustentabilidade Ambiental'
De 8 a 10 de Junho de 2010
Local: Museu Histórico Nacional, Rio de Janeiro, RJ.
Dia 11 de Junho: Visitas técnicas a museus como parte da programação do simpósio.
Os desafios ambientais enfrentados atualmente pela humanidade exigem uma mudança radical nos paradigmas de produção, consumo e uso dos recursos naturais, uma dura tarefa que requer participação ativa de todos os cidadãos. Existe um movimento crescente de diversos setores da sociedade pela conscientização da população, e os museus - espaços de comunicação, divulgação e educação não-formal - não podem ficar alheios a esse movimento!
Por isso, o simpósio internacional 'Museus, Biodiversidade e Sustentabilidade Ambiental', organizado pelo Museu da Vida (Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz) e pelo Instituto Brasileiro de Museus/IBRAM, com apoio do CNPq, tem como principal objetivo convidar o setor museológico a refletir sobre a importância de incluir este debate nas agendas dos museus, por meio de exemplos de excelência e discussão de temas centrais, a fim de que esses espaços possam se articular internamente, entre os pares e com diversos atores externos, participando cada vez mais junto à sociedade na mitigação dos desafios ambientais.
O Simpósio reunirá palestrantes internacionais da França e Estados Unidos, bem como especialistas de diferentes estados brasileiros (Amapá, Brasília, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo), a fim de proporcionar um debate a partir de diferentes realidades, pontos de vista e abordagens.
Para se inscrever e obter informações detalhadas sobre programa e palestrantes, acesse: www.museologia.org.br/simposio
Profissionais pagam R$ 40,00 e Estudantes, R$ 20,00, de taxa de inscrição.
Reserve já as datas na sua agenda! O Museu Histórico Nacional fica na Praça Marechal Âncora, s/nº, Centro, Rio de Janeiro.
Contato: simposio.junho2010@gmail.com

25/05/2010

Garcia Canclini, Nestor. Definiciones en transición

A CLACSO (Conselho Latino-americano de Ciências Sociais) disponibiliza praticamente todas as suas publicações na sua biblioteca on-line. Só pra demonstrar como tem coisas boas disponíveis "colo" um trecho de um texto do Canclini. Bom proveito!

MUSEO. La mayor creatividad que se observa en los museos de la última década es una creatividad arquitectónica, no museográfica ni mucho menos museológica. La crisis de las vanguardias, el agotamiento de la innovación estética, la falta de nuevas ideas acerca de la función del museo, se han tratado de resolver convirtiendo al museo en centro cultural. El caso del Centro Pompidou es ejemplar en este sentido. O, por otro lado, convocando a grandes arquitectos que hagan envases llamativos –el Guggenheim de Bilbao es el caso más emblemático– sin preocuparse mucho sobre qué poner adentro, o cómo comunicar lo que se va a exhibir.
Hay discusiones interesantes de pedagogía museográfica y aplicación de nuevas tecnologías informáticas para revitalizar los museos y volverlos interactivos. No podemos desconocerlo. Pero la noción misma de museo está estancada. Algunos trabajos de James Clifford, Andreas Huyssen y varios más parecen interesantes para repensar la función del museo, pero no hay que olvidar que las reflexiones de Clifford y Huyssen sobre este tema están ligadas a proyectos de investigación que exceden lo museológico: cómo trabajar sobre la memoria en la actualidad, cómo documentar dramas históricos, qué puede significar para el arte, ahora encandilado por las instalaciones, un arte tan poco museificable o tan difícil de museificar. Los estudios culturales tienen atractivas oportunidades para repensar el patrimonio, la historia, la memoria y los olvidos, a fin de que las instituciones y las políticas culturales se renueven con algo más que con astucias publicitarias.
Es curioso: estamos en una época de vasta reflexión sobre la memoria. Se vuelve a repensar el holocausto, las dictaduras del Cono Sur en América Latina, otros países están redescubriendo qué hacer con su pasado. De modo que es posible pronosticar que nos estamos acercando a un momento en que se va a re-flexionar el museo por la necesidad de tener una institución que canalice esta nueva visión sobre la memoria. En todo caso, será la prueba para ver si el museo todavía es necesario.

Do texto Definiciones en transición, publicado na Revista Cultura, política y sociedad e disponibilizado no link (imenso) http://sala.clacso.edu.ar/gsdl252/cgi-bin/library?e=d-000-00---0grup-busca,secret,grup,becas,brfundapd,brcpdap,crop,campus,edicion,osal,raec,sursur,arcis1,briuperj,base,caapec,cde,cea,ceaabr,ceaamx,ceamo,ceao,cbcpe,cedla,cedlavi,cehepyc,ceilar,cendes,cendesve,ceped,ceres,ceri,cesco,cescuco,cesspe,cides,cidse,cidse,cocinepd,cielac,cijs,cinde,cips,cisepape,ciudadec,cpda,cpes,cemi,crh,crim,cubafi,dcsupnco,dcshmx,de,ds,dsuca,dussel,derecho,facesve,faebr,fcpys,ffaasoc,fisypar,fisypcua,flacsoar,flacsocl,flacsogt,flacsocr,flacsosv,flacsobr,flacsodo,flacsoec,flacsomx,flacsosg,flora,grade,icalcl,icoar,idesar,idiucec,iee,ief,ieppe,iese,ifch,iiec,iiduca,iifcsar,ipc,iden,inpso,isri,libros,marincu,martah,mepla,oteiza,pimsaar,ppgeo,quijano,rccs,reen,reggen,region,uncuyoar,upnhidal,anped,anpocs,jave,lasa,filopol,cedoh,ides,iepri,arcis,bolec,descope,cescuco,chiapas,social,ceamo,cendes,cesorev,ciudad1,cipsbol,cubafi,cultra,eainte,peruhoy,argumen,pasos,polges,ffaasoc,infomu,novos,regiosoc,rccs,infolab,infolega,proealc,infocamp,lavro,spgov,ilatina,fisypcua,debate,dialogo,paideia,astro,cuaceped,ensaio,debateag,revagro,alertala,alterna,revven,reen,revsocuy,ocseru,entrevo,umbrales,revical,momeneco,rms,riolpp,polcul,ppgeo,diversi,flora,estudos,iconos,luanova,encuen,cinde,socmovgt,ceao,argupe,cuadear,idesar,folios,tareas1,tesis,prcisp,pegradep,arceap2,bririp,cocidsep,clcejup,secuap-01-0-0--0prompt-10---4----stx--0-1l--1-es-Zz-1---20-about-museo--00031-001-1-0utfZz-8-00&a=d&c=grup&cl=search&d=HASH017bb2a793737a9b3fbd08c9.2.3

24/05/2010

Observatório de Museus e Centros Culturais

No final de 2008, em pesquisa encomendada pelo Observatório de Museus e Centros Culturais, técnicos da ENCE (Escola Nacional de Ciências Estatísticas) entrevistaram moradores maiores de quinze anos dos bairros de São Cristóvão, Tijuca, Maracanã e Praça da Bandeira, no município do Rio de Janeiro, lugares que abrigam museus de grande notoriedade, tais como o Museu Nacional, o Museu de Astronomia e Ciências Afins, o Museu do I Reinado, o Museu do Futebol, o Museu Conde de Linhares e o Jardim Zoológico. Tal iniciativa faz parte do projeto intitulado VAMUS – Pesquisa Domiciliar sobre Percepção e Visita a Museus, realizado pelos alunos do 22º Curso de Desenvolvimento de Habilidades em Pesquisa, cujo objetivo investigar é as percepções e a relevância atribuídas aos museu s pelos moradores dos bairros referidos, buscando conhecer os aspectos positivos e negativos que constroem tais percepções e identificar os fatores que motivam a visita e não visita dos mesmos a museus. Complementarmente, a pesquisa buscou conhecer o perfil sociocultural dessas pessoas e como se dão suas práticas de lazer realizadas dentro e fora de seus domicílios.
A iniciativa possibilita uma compreensão ainda maior sobre os hábitos culturais dos moradores das regiões pesquisadas de maneira diferente quando comparada com outras pesquisas semelhantes, como a Pesquisa Perfil-Opinião (PPO), realizada pelo OMCC. Ambas as pesquisas procuram investigar a relação entre museus e a sociedade, de maneira a contribuir para o subsídio de planejamento de políticas de investimento, manutenção e renovação dos museus e, de forma mais ampla, para o engrandecimento do conhecimento sobre os hábitos culturais dos brasileiros. Todavia o fazem com algumas diferenças:
Saiba mais em Observatório de Museus e Centros Culturais

parceria Museologando e Carreiras Alternativas

Museologia: pesquisa, conservação, comunicação
A Museologia é um curso relativamente novo nas universidades do país, mas a necessidade de um profissional desta área já existe há muito tempo.
O museólogo trabalha no arquivamento, documentação e conservação de itens de valor artístico, cultural, histórico e científico. Também é função do profissional da área promover e organizar exposições, além de gerenciar acervos e centros culturais. É responsável por cativar o público e mantê-lo interessado, tornando o museu um espaço atraente. “Não podemos mais continuar com a ideia de que museus são lugar de coisa velha, um lugar parado no tempo”, diz a coordenadora do curso de Museologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Marlise Giovanaz.
O museólogo Fabiano Soares...
Leia mais no blog Carreiras Alternativas

22/05/2010

Dia internacional do museu

"... consagrados nos países ricos eles ainda passam por dificuldades financeiras e estruturais aqui no Brasil. Para tentar driblar os problemas e atrair mais visitantes os museus aqui investem em interactividade, tecnologia e acima de tudo criatividade..."
Confira o vídeo!

21/05/2010

Especial Semana Nacional dos Museus-2010

Para encerrar a Semana Nacional de Museus, a NBR vai ter uma programação especial neste fim de semana.
A NBR vai exibir 3 documentários mostrando Museus do Rio de Janeiro.
A programação é a seguinte:
SÁBADO, 22/05
11h - Exibição do documentário "Museu da maré - memória e (re)existências" (cai reprise "Doc TV")
23h - Exibição de dois documentários do Projeto "Revelando os Musus do Rio": "Região médio-paraíba: Conservatória" e "Região centro-sul fluminense: Miguel Pereira, Paty dos Alferes e Vassouras" (cai reprise "Cultura Ponto a ponto" + "Sementes")

DOMINGO, 23/05
(REPRISES)
13h - Exibição de dois documentários do Projeto "Revelando os Musus do Rio": "Região médio-paraíva: Conservatória" e "Região centro-sul fluminense: Miguel Pereira, Paty dos Alferes e Vassouras" (cai reprise "Brasil Saudável")
21h30min - Exibição do documentário "Museu da maré - memória e (re)existências" (cai reprise de "Ciência e Letras" + "Caminhos da Escola")

Reforçando a programação temática, durante o fim de semana vamos exibir ainda na faixa "Videos Informativos" vários videos sobre Museus. São eles:
“O casamento na Palafita” - Grupo Maré de Histórias (5'52”)
“A Poética da casa” (6'24”
“História da Maré” (7'50”)
“Política Nacional de Museus” (16'16”)

Turismo Cultural no Bairro Imperial

A Quinta da Boa Vista será o ponto de partida de um passeio cultural no bairro. Seis ônibus vão circular de graça entre quatro museus, um centro cultural e um clube histórico.
Confira o vídeo!

Assembleia Estadual Preparatória do IV Fórum Nacional de Museus

E já começam as preparações para nosso Fórum de Museus!

20/05/2010

Museu de Arte Moderna de Paris é roubado

Quinta-feira, 20/05/2010
Telas de valor milionário são roubadas de museu em Paris. Obras de Pablo Picasso, Henri Matisse, Georges Braque, Amedeo Modigliani e Fernand Léger foram roubadas do Museu de Arte Moderna de Paris. A polícia francesa investiga falhas ou até uma sabotagem na segurança.
Assista o vídeo!

MUF

Festival Museu de Favela agita o Cantagalo e o Pavão-Pavãozinho
Confira o vídeo!

17/05/2010

Balão Mágico no Museu

Quem foi que disse que museu não é lugar para jovens? Esses amigos se divertem fazendo clipe do Balão Mágico - Super Fantástico no Museu do Carvão! Esse vídeo é uma prova de que os museus podem sim ser espaços de lazer (não apenas para os intelectuais). Os museus estão vivos e fazem parte da vida dos adolescentes. Confira!

Museu expõe cabeças encolhidas

Museu na Suíça expõe antigas cabeças encolhidas da Amazônia
Guardar cabeças mumificadas de inimigos já foi tradição de alguns índios.
As seis peças têm cerca de 200 anos; uma delas seria de homem branco.
O Museu de Antropologia de St. Gallen, na Suíça, comprou para sua coleção seis cabeças encolhidas levadas da Amazônia por um taxidermista (especialista em empalhamento de animais) que viveu na região por alguns anos.
As peças, informa a imprensa local, têm entre 200 e 250 anos. Alguns indígenas amazônicos tinham a tradição de encolher as cabeças de inimigos mortos para levá-las como troféu e amuleto.
Segundo explica o diretor do museu, Daniel Studer, ao diário “Tagesanzeiger”, apesar de ter sido totalmente proibida somente há 50 anos, essa tradição praticamente já não existia mais ao longo do século 20.
A instituição comprou as peças do taxidermista pelo equivalente a R$ 80 mil. Elas fazem parte de uma exposição com outros objetos da cultura amazônica.
Ainda de acordo com informações do museu, o processo que permitia aos índios encolher cabeças não está completamente desvendado. É certo que ele começava pela retirada do crânio, mas não está claro que tipo de plantas ou conservantes eram utilizados para manter a pele por tantos anos sem deterioração.
No caso das cabeças expostas em St. Gallen, chama atenção o fato de que uma delas aparentemente é de um homem branco, pois tem cabelos e barba loira. Não se sabe, no entanto, se se trata de um missionário, explorador ou outro tipo de viajante.

http://www.globoamazonia.com/Amazonia/0,,MUL1592617-16052,00-MUSEU+NA+SUICA+EXPOE+ANTIGAS+CABECAS+ENCOLHIDAS+DA+AMAZONIA.html

11/05/2010

“MUSEUS, BIODIVERSIDADE E SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL”



SIMPÓSIO INTERNACIONAL “MUSEUS, BIODIVERSIDADE E SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL”
De 8 a 10 de JUNHO de 2010
Local: MUSEU HISTÓRICO NACIONAL , Praça Marechal Âncora, s/n. Rio de Janeiro, RJ
Dia 11 de Junho – Visitas técnicas a museus como parte da programação do simpósio
Os desafios ambientais enfrentados atualmente pela humanidade exigem uma mudança radical nos paradigmas de produção, consumo e uso dos recursos naturais, uma dura tarefa que requer participação ativa de todos os cidadãos. Existe um movimento crescente de diversos setores da sociedade pela conscientização da população, e os museus – espaços de comunicação, divulgação e educação não-formal – não podem ficar alheios a esse movimento!
Por isso, o simpósio internacional “Museus, Biodiversidade e Sustentabilidade Ambiental”, organizado pelo Museu da Vida (Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz) e pelo Instituto Brasileiro de Museus/IBRAM, com apoio do CNPq, tem como principal objetivo convidar o setor museológico a refletir sobre a importância de incluir este debate nas agendas dos museus, por meio de exemplos de excelência e discussão de temas centrais, a fim de que esses espaços possam se articular internamente, entre os pares e com diversos atores externos, participando cada vez mais junto à sociedade na mitigação dos desafios ambientais.
O Simpósio reunirá palestrantes internacionais da França e Estados Unidos, bem como especialistas de diferentes estados brasileiros (Amapá, Brasília, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo), a fim de proporcionar um debate a partir de diferentes realidades, pontos-de-vista e abordagens.
Inscrições e informações : www.museologia.org.br/simposio
Profissionais (R$ 40,00); Estudantes (R$ 20,00)
Contato: simposio.junho2010@gmail.com

09/05/2010

uma visita ao Museu Nacional

"Separação" Karin se enrola com os alunos em museu. Em visita guiada, a professora visivelmente transtornada perde o controle dos alunos, que se dispersam pelas obras de arte.
Confira o vídeo!

Até os super-heróis têm os seus dias ruins

Escultura de Marcus Wittmers do lado de fora do Museu Judaico de Berlim leva o título 'Até os super-heróis têm os seus dias ruins'
Escultura de Marcus Wittmers do lado de fora do Museu Judaico de Berlim leva o título 'Até os super-heróis têm os seus dias ruins'

Superman tem um 'dia ruim' em exposição de museu alemão
Escultura mostra herói com a cabeça enterrada na calçada do museu.
Peça é parte de mostra sobre relação das HQs com os imigrantes judeus.
Uma exposição no Museu Judaico de Berlim defende que não se trata de coincidência que os super-heróis mais famosos do mundo - Superman, Batman e Hulk - tenham sido criados por artistas de quadrinhos judeus.
"Heroes, freaks and superrabis: the Jewish colour of comics" (heróis, esquisitões e super-rabinos: a cor judaica dos quadrinhos), em cartaz no museu alemão, joga luz sobre a vida e a carreira de 45 quadrinistas que descendem de pessoas que emigraram da Europa para Nova York na primeira metade do século XX.
Em suas histórias, esses quadrinistas atacaram Hitler e os soldados nazistas antes mesmo que os EUA entrassem na Segunda Guerra.
Em fevereiro de 1940,cerca de dois anos antes de Pearl Harbor, Jerry Siegel e Joe Shuster, os criadores do Superman, lançaram a HQ "How Superman would end the war" (Como o Superman acabaria com a guerra). O gibi trazia o Homem de Aço dando cabo do líder nazista.
"Eu queria dar um soco não-ariano em seu queixo, mas não há tempo para isso!", diz o herói a Hitler na HQ, antes de enviá-lo de à Suíça para ser julgado junto com Stalin.
Outros personagens, como o Capitão América, da editora Marvel, criado por Jack Kirby e Joe Simon, também lidaram com nazistas.
Nessa época, que foi bem retratada no romance "As incríveis aventuras de Kavalier e Clay", de Michael Chabon, os super-heróis eram vistos como forasteiros (assim como os artistas), com um patriotismo profundo de imigrantes, que lutam para salvar seu novo lar de uma ameaça externa.
Depois da Guerra, os quadrinistas passaram a confrontar os efeitos do Holocausto. No caso mais conhecido, a graphic novel "Maus", Art Spiegelman reconta a história verdadeira de seu pai, um sobrevivente de campo de concentração da Polônia. A obra, publicada em dois volumes (1986 e 1991) foi a primeira história em quadrinhos a vencer o prestigioso prêmio Pulitzer, nos EUA.
http://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2010/05/superman-tem-um-dia-ruim-em-exposicao-de-museu-alemao.html

07/05/2010

Exp. A Educação é um Direito

Exposição de fotos mostra a realidade de escolas da América Latina
O Memorial da América Latina, na Barra Funda, zona oeste da capital, inaugura nesta segunda-feira (3) uma exposição fotográfica que mostra as diferenças e semelhanças entre escolas da América Latina.
Com o tema “A Educação é um Direito: pela Não Discriminação na América Latina e no Caribe”, a exposição tem curadoria da fotógrafa Maíra Soares que reuniu 35 imagens de fotógrafos de diversas nacionalidades, entre eles o brasileiro Gilvan Barreto e o argentino Nestor Lopez.


Uma senhora exibe seu caderno de alfabetização, nas aulas da educação de adultos em Campo Limpo, zona sul da capital paulista

“As imagens mostram cenas cotidianas da vida escolar em diversas partes da América Latina e Caribe, dando visibilidade à realidade de grupos e pessoas que vem sendo sistematicamente discriminadas, dentro e fora da educação”, diz Camilla Croso, coordenadora geral da Clade (Campanha Latino-americana Pelo Direito à Educação).
As fotos serão exibidas até o dia 29 de maio aqui no Brasil. Depois, elas vão para exposições em outros países da América Latina e Caribe.
No dia 6 de maio, das 10h às 12h, haverá um evento que conta com a participação especial do relator da ONU (Organização da Nações Unidas) sobre o direito à educação, Vernor Muñoz. Ele recebe o público para um debate sobre o tema da discriminação na educação.
Serviço
Biblioteca do Memorial da América Latina
Avenida Auro Soares de Moura Andrade, 664
Tel: 0/xx/11/3823-4600
Entrada gratuita
Horário de Funcionamento:
De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h
Sábados, das 9h às 15h
Fechada aos domingos e feriados

http://educacao.uol.com.br/ultnot/2010/05/03/exposicao-de-fotos-mostra-a-realidade-de-escolas-da-america-latina.jhtm
Ocorreu um erro neste gadget