29/10/2012

Mercado negro de obras de arte é tema de exposição no Recife

Artista Paulo Almeida expõe 'Black Market' no Murillo La Greca.
Com entrada gratuita, trabalho fica em cartaz até 2 de dezembro.

A obra de arte é um bem cultural ou capital? O artista paulistano Paulo Almeida traz seu olhar sobre esse mundo na exposição “Black Market” [mercado negro, em português], que fica em cartaz no Museu Murillo La Greca, no Recife, até o dia 2 de dezembro. Almeida é o terceiro artista selecionado pelo Projeto Amplificadores 2012, que busca dar visibilidade a artistas brasileiros.

Paulo Almeida retrata o mercado negro
das obras de arte em exposição.
(Foto: Paulo Almeida / Divulgação)

Provocativo, o artista paulistano traz o mercado negro pintado em suas telas, como as salas de exposição com espaços em branco de onde telas, desenhos e trabalhos variados foram retirados, gatunos com o produto do furto e do roubo na mão, demonstrando o caráter apenas de mercadoria da obra de arte.

Almeida expõe o mercado negro a partir de uma contínua investigação, extraindo da internet, de jornais impressos e de outros veículos de comunicação imagens retratando episódios que colocam em relevo as transações criminosas e ilegais de obras de arte, como a pilhagem nazista de bens artísticos, realizada em especial durante os anos da Segunda Guerra Mundial.

O Museu Murillo La Greca fica na Rua Leonardo Bezerra Cavalcanti, número 366, no bairro de Parnamirim, no Recife, e recebe o público de terça a sexta, de 9h às 17h, e sábado e domingo de 13h às 17h. A entrada é gratuita.

Serviço:
Exposição Black Market, de Paulo Almeida
Museu Murillo La Greca - Rua Leonardo Bezerra Cavalcanti 366, Parnamirim.
Até 2 de dezembro, e terça a sexta, de 9h às 17h, e sábado e domingo de 13h às 17h.
Entrada gratuita.
Informações: (81) 3355.3127

http://g1.globo.com/pernambuco/noticia/2012/10/mercado-negro-de-obras-de-arte-e-tema-de-exposicao-no-recife.html

22/10/2012

Sertanejo Universitário - Almeida Junior


Os impressionistas estão chegando

Depois de atrair 320 mil visitantes em São Paulo, exposição com parte da principal coleção do Museu d’Orsay 'recria' Paris no CCBB-RJ

Em um dos ambientes da exposição, há sete trabalhos de Pierre-Auguste Renoir Daniela Dacorso / Agência O Globo


RIO - Lá dentro, a temperatura não pode ultrapassar os 22°C. Lá dentro, mais de dez desumidificadores trabalham dia e noite para reduzir a umidade do ar. Lá dentro, fala-se francês, vê-se Renoir, Monet, Gauguin e Cézanne. Lá dentro é (ou deveria ser) Paris.

Veja imagens da montagem da exposição no CCBB

Há uma semana, dez franceses tentam “domar” o clima carioca e converter pelo menos sete salas do Centro Cultural Banco do Brasil numa espécie de sucursal do Museu d’Orsay. O esforço terá de durar de segunda, às 19h, quando o CCBB inaugura para convidados a mostra “Impressionismo: Paris e a modernidade”, até 13 de janeiro — quando, do lado de fora, os termômetros não devem deixar por menos de 40°C.

Com 85 telas da coleção do D’Orsay, a mostra que se propõe a recriar Paris no CCBB do Rio chega à cidade com objetivos numéricos também ambiciosos: é a aposta (de R$ 11 milhões, diga-se) do centro cultural para superar seu recorde de público, registrado em 2011, na exposição do holandês M.C. Escher que, com 9.677 visitantes por dia, foi apontada pela “ArtNewspaper”, publicação especializada no mercado de arte, como a mais visitada do mundo em 2011. E o prognóstico atual soa favorável: em São Paulo, onde esteve de agosto ao início deste mês, “Impressionismo” arrebanhou 320 mil visitantes ao todo, ou 5.552 pessoas por dia.

É a primeira vez que o D’Orsay envia ao Brasil parte de sua principal coleção, a de impressionistas e pós-impressionistas. Embora o orçamento seja divulgado (os R$ 11 milhões erguidos por um pool entre a seguradora Mapfre, Cielo, Banco do Brasil e seus fundos, via Lei Rounet), nada se diz sobre as cifras do seguro para proteger as joias. Sabe-se, porém, que as 85 telas não viajam no mesmo avião. São distribuídas em seis aeronaves, como herdeiros de uma família milionária. O CCBB anuncia a mostra como o maior projeto de sua história.

Cada sala é monitorada por pelo menos duas câmeras de segurança. Para cada funcionário que toca numa tela, um conservador do museu é acionado para verificar, com lupa e lanterna, se houve danos. A iluminação é calculada de acordo com as dimensões de cada pintura — a luz tem intensidade definida pelos restauradores do D’Orsay para minimizar efeitos sobre as pinceladas. O ambiente, assim, é quase escuro, intimista. As salas, de paredes pintadas com as cores do museu parisiense (azul, vermelho e verde), devem receber apenas 50 visitantes por vez — e nada de foto. Para suprir o desejo de registro, o CCBB instalou grandes painéis na entrada com reproduções das salas do D’Orsay.

— O público vai se sentir em Paris! Isso não é incrível? — diz em entrevista ao GLOBO o diretor do museu, Guy Cogeval. — Estou encantado com esse edifício (do CCBB carioca), que é maior que o de São Paulo e está cercado de tantas construções históricas, de algo barroco, como a ópera (ele se refere ao Teatro Municipal, na Cinelândia). É mesmo como estar em Paris.

Do lado de fora da Paris carioca, o pipoqueiro em frente ao CCBB segue com as versões doce e salgada a partir de R$ 2, um grupo de moradores de rua observa o trânsito e dois ônibus interrompem a faixa de pedestres. Mas lá dentro, na Paris de até 22°C, é preciso usar casaco e pode-se comer um pain au chocolat por R$ 5 com um capuccino médio de R$ 6,40. Lá dentro, a curadora do D’Orsay, Caroline Mathieu, repete que “vocês (os brasileiros) poderão admirar sete Renoir de uma só vez!”.

http://oglobo.globo.com/cultura/os-impressionistas-estao-chegando-6468553

19/10/2012

"É difícil obter lucro com obras de arte roubadas" diz especialista em roubo de arte

Comentamos aqui sobre o roubo das obras de Picasso, Monet, Matisse, Gouguin, Meyer de Haan e Lucien Freud do Museu Kunsthal da Holanda, país que nos últimos 23 anos já teve 482 obras roubadas! Um fato que não apenas deixou de cabelo em pé o mundo da arte como preocupou, não sem motivo, autoridades brasileiras! A preocupação tem o agravante da inauguração, na próxima semana, da exposição que trás as obras mais valiosas já expostas no Brasil que abraça os principais nomes do Impressionismo.

O Brasil tem um longo histórico de roubos de obras de arte. Vale lembrar que a Chácara do Céu (RJ) durante as comemorações do carnaval de 2006 perdeu quatro de suas obras quando homens armados levaram "Homme d'une complexion malsaine ècoutant le bruit de la mer" também conhecida como "Dois balcões", do Salvador Dalí, "Le Jardin du Luxembourg" de Matisse, "La Danse", de Pablo Picasso e "Marine", de Monet. Outro caso que chamou atenção, em especial pelo seu desfecho incomum foi o do jovem que roubou a obra do Portinari mas resolveu devolvê-la à instituição.

Mas o quadro não parece preocupar tanto Noam Charney, escritor especialista em roubos de arte e diretor da ARCA (Association for Research into Crimes Against Art) fez questão de dizer que roubos deste tipo não são lucrativos:
Obras de arte famosas são, infelizmente, fáceis de serem roubadas, mas é difícil obter lucro com elas. No caso de Roterdã, já há uma chance de que as telas tenham sido levadas com o objetivo de se pedir um resgate. (...) Se ele não for pago, azar dos ladrões. Não existem casos, na História, de obras de arte destruídas por conta de resgates não pagos. Os ladrões simplesmente as abandonam.
Longe que querer questionar uma autoridade do assunto, mas a meu ver, ladrões de objetos artísticos dos portes abordados dificilmente roubam com intuito de revenda, mas sim a colecionadores particulares que sabem muito bem o que desejam. São roubos pré-encomendados com destinos próprios justamente porque a revenda é difícil. Arriscaria dizer que por ser o valor monetário inferior ao artístico, e porque não histórico, aliado ao caráter único das mesmas, a revenda dificilmente seria uma questão pensada pelos autores do furto.

Outros casos sobre roubo de obras de arte:





Museu do Indio será demolido

Saiu no Globo de hoje a notícia de que o Governador Sérgio Cabral decidiu pela demolição do Museu do índio da Rua Mata Machado. Ao que parece, a área será demolida para melhorar acessos ao Maracanã já para a Copa 2014. A justificativa do Governador Sérgio Cabral é que:
O prédio fica em uma área de mobilidade do projeto. Vai ser demolido. A Fifa exige grau de mobilidade para circulação. O prédio não tem valor histórico. (O Globo 12-10-2012)
Contestando estas afirmações entra a Defensoria Pública da União. Para o defensor público André Ordacgy:

A postura do Estado é completamente desrespeitosa com o patrimônio cultural e histórico. Vamos pedir o impedimento da demolição e o tombamento e recuperação do prédio. (O Globo 12-10-2012)
Uma das afirmações mais poderosas do defensor é que o prédio não atrapalha em nada a circulação para a Copa 2014.
O parecer do Crea indica que o imóvel é recuperável e pelo tamanho e distância não trará nenhum obstáculo aos torcedores na Copa. Além disso, encaminhei ofício a Fica e recebi resposta do diretor da entidade no Brasil, afirmando que eles não solicitaram a demolição e zelam pela história e o patrimônio das sedes das Copas. (O Globo 12-10-2012)
Para saber mais:

16/10/2012

Obras de Picasso, Matisse, Monet e Gauguin são roubadas de museu

Kunsthal em Roterdã, na Holanda, foi invadido nesta terça-feira (16).
'Quadros representam quantia considerável', dizem investigadores.

Sete quadros de grande valor, incluindo obras de Picasso, Matisse, Monet e Gauguin, foram roubados do museu Kunsthal de Roterdã, oeste da Holanda, nesta terça-feira (16).

As obras são "O louco (cabeça de Arlequim)", de Pablo Picasso, "Leitora em branco e amarelo", de Henri Matisse, "A ponte de Waterloo" e "A ponte de Charing Cross", de Claude Monet, e "Mulher diante de uma janela aberta", de Paul Gauguin.


Quadros de Meyer de Haan, Lucian Freud, Henri Matisse, Pablo Picasso, Paul Gauguin e Claude Monet que foram roubados do museu Kunsthal em Roterdã, na Holanda, nesta terça-feira (16) (Foto: Reprodução/AFP/Polícia holandesa)

Também foram roubados "Autorretrato", de Meyer de Haan, e "Mulher com os olhos fechados", de Lucian Freud. "Iniciamos uma investigação e há especialistas no local", afirmou a porta-voz da polícia de Roterdã, Patricia Wessels.

"Tentamos descobrir como tiveram acesso, que horas aconteceu e quem são os autores do roubo", completou. O roubo aconteceu durante a madrugada, segundo a polícia, que negou que uma obra de Van Gogh tenha sido levada.

"A polícia está interrogando as eventuais testemunhas e estuda as imagens do circuito de TV do museu. De acordo com os primeiros elementos, o roubo foi muito bem planejado", afirma um comunicado.

A polícia foi alertada durante a noite por um alarme, mas quando chegou ao local os ladrões já haviam deixado o museu. O Kunsthal exibe uma mostra de obras da Fundação Triton como parte da celebração de 20 anos, incluindo quadros de Picasso, Van Gogh, Marcel Duchamp e Piet Mondriaan.

Polícia holandesa investiga museu Kunsthal, em Roterdã, após várias obras terem sido roubadas nesta terça (16) (Foto: Robin Utrecht/AFP)

http://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2012/10/roubo-em-museu-de-roterda-que-tem-obras-de-picasso-e-van-gogh.html



Cartaz de museu com nu frontal de atletas causa polêmica na Áustria

O anúncio divulgava uma exposição do Museu Leopold de Viena com a imagem de três jogadores de futebol franceses (as estrelinhas coloridas são por nossa conta, ok?)Foto: Reprodução /‘Austrian Times’


O Museu Leopold de Viena, tradicional instituição da capital da Áustria, decidiu espalhar 250 cartazes pela cidade para divulgar sua próxima exposição. Até aí, tudo bem... O problema é que o material publicitário trazia uma imagem gigantesca de três jogadores de futebol nus, com direito a genitália exposta, e a campanha acabou causando uma polêmica daquelas. De acordo com o site “Austrian Times”, um morador chegou a ameaçar partir para o vandalismo caso nada fosse feito a respeito. No fim das contas, todos os cartazes foram cobertos pelo próprio museu.

O tema da exposição em questão é justamente a nudez masculina como forma de expressão artística. A obra que causou tanta discussão se chama “Vive le France” e é assinada por Pierre & Gilles. A proposta era trazer três jogadores de futebol franceses de diferentes origens (negro, árabe e branco) para ilustrar a sociedade multicultural do país.

- Estes homens, claramente, não estavam numa condição de excitação sexual, e por isso julgamos que não ofenderíamos ninguém. No entanto, nós não queremos perturbar crianças nem adultos, e está claro que isso é algo que as pessoas não querem ver. Temos que respeitar isso - explicou um porta-voz do Museu Leopold.

O museu garante que a escultura 'Mr. Big' continuará exposta em frente ao prédio Foto: Reprodução / 'Austrian Times'

Em contrapartida, os administradores não pretendem retirar uma escultura gigante de um homem nu que está exposta em frente ao museu. Batizada de “Mr. Big”, a obra da artista austríaca Ilse Haider, que deixa o pênis da estátua completamente à mostra, correu o mundo há alguns dias e também causou repercussão.

A exposição “Naked Men” será aberta na próxima quinta-feira, 18 de outubro, e irá durar até o dia 28 de janeiro de 2013. No total, mais de 300 obras poderão ser admiradas, de autoria de cerca de cem artistas da Europa e da América e correspondendo a um período de mais de 200 anos na História da Arte.

http://extra.globo.com/noticias/bizarro/cartaz-de-museu-com-nu-frontal-de-atletas-causa-polemica-na-austria-6411733.html

Seminário Oi Futuro


5º Fórum Nacional de Museus abre inscrições para edição em Petrópolis (RJ)

Estão abertas a partir desta quinta-feira (11), as inscrições para o 5º Fórum Nacional de Museus (FNM), que será realizado entre os dias 19 e 23 de novembro, no Sesc Quitandinha, em Petrópolis (RJ). Interessados em participar podem se inscrever na página do FNM.
A programação será composta por mini-cursos, painéis, conferências, comunicações coordenadas e encontro de pontos de memória, além de eventos paralelos. O evento será encerrado com plenária final dos grupos de trabalho. Confira a programação completa.

Com periodicidade bienal, o Fórum Nacional de Museus é o principal evento do setor museal brasileiro e uma oportunidade para promover o intercâmbio de experiências entre profissionais, acadêmicos e estudantes de Museologia e áreas afins.

O tema deste ano será 40 anos da Mesa-Redonda de Santiago do Chile: entre o idealismo e a contemporaneidade. A ideia é discutir e consolidar as ações da Política Nacional de Museus como propulsoras da inclusão social, da cidadania cultural e da valorização do patrimônio cultural brasileiro.

O 5º Fórum Nacional de Museus é uma realização conjunta do Ibram e da Associação Brasileira de Museologia (ABM), e conta com o apoio do Sesc Rio. As inscrições para envio de trabalhos já foram encerradas.

Conselho Nacional de Políticas Culturais
Durante o 5º Fórum Nacional de Museus, irá acontecer também a eleição para escolha do representante da sociedade civil da área de museus que vai compor o plenário do Conselho Nacional de Políticas Culturais (CNPC).

O CNPC é o órgão colegiado, integrante da estrutura do Ministério da Cultura (MinC) que tem por finalidade propor a formulação de políticas públicas, com o propósito de promover a articulação e o debate do governo e da sociedade civil organizada para o desenvolvimento e fomento das atividades culturais no território nacional. Saiba mais sobre o CNPC.

Texto: Ascom/Ibram

http://www.museus.gov.br/destaque/5-forum-nacional-de-museus-abre-inscricoes-para-edicao-em-petropolis-rj/

11/10/2012

Museu de Arte Naïf fará leilão silencioso para financiar reestruturação.

O Museu Internacional de Arte Naïf vem a tempos buscando soluções para sair da crise institucional que vem passando a anos. O museu que guarda a maior coleção do mundo deste gênero artístico, vai leiloar 30 obras de sua coleção de uma maneira um pouco diferente: ao lado de cada obra, o valor mínimo estará acompanhada por uma urna onde se poderá colocar uma proposta para a obra. O esperado é que no dia 27, que marca o fim do evento "Cosme Velho de portas abertas" as urnas serão abertas e assim anunciados os novos proprietários.

Outra maneira que a instituição vem cogitando é a criação de uma associação de amigos, e uma parceria com escolas particulares próximas, onde estas contribuem com um lance mínimo de R$ 300, ou máximo de R$ 1000 mensais e assim tem o direito de ter uma das obras temporariamente, usufruir do espaço do museu para possíveis eventos, e claro, visitas com grupos escolares.

As medidas visam aumentar o público da instituição que fica ao lado do monumento mais visitado do Brasil (o corcovado) e ainda sofre para atrair visitantes. Com o dinheiro arrecadado, estima-se fazer obras de restruturação da fachada e tornar o ambiente mais agradável.

Vale lembrar que a instituição ficou fechada desde 2005 devido a problemas em sua infraestrutura agravada pelas chuvas de 2010 e que só conseguiu reabrir início deste ano por  causa dos 400 mil da verba do Edital Pró Artes Visuais de 2011, da Secretaria Municipal de Cultura, que segundo o jornal O Globo de hoje serviu para, pagar a equipe de funcionários dentre outras melhorias.
deste ano. 



10/10/2012

Google disponibiliza 42 exposições históricas na internet

Assuntos como Apartheid e Holocausto são abordados em histórias.
Empresa diz que planeja expandir coleção.

Plataforma de exposições on-line do Google (Foto: Reprodução)

O Google lançou, nesta quarta-feira (10), uma plataforma que disponibiliza exposições históricas on-line –inicialmente, foram colocadas 42 exposições no site.

Segundo a empresa, as histórias foram montadas por 17 empresas parceiras, incluindo museus e fundações culturais.

As exibições incluem fotos, vídeos e textos sobre assuntos como Apartheid, Holocausto e vida de Nelson Mandela. O acervo virtual também inclui cartas, manuscritos e entrevistas em vídeo –o Google diz que algumas peças estão sendo colocadas na internet pela primeira vez.

“O que você vê hoje é apenas o começo”, disse Mark Yoshitake, gerente de produto do Google responsável pelo Instituto Google Cultural. A exibição pode ser vista no site do instituto (acesse aqui).

http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2012/10/google-disponibiliza-42-exposicoes-historicas-na-internet.html

09/10/2012

COMO SE FABRICA – BONECOS DE CERA

O Madame Tussauds é uma galeria de bonecos de cera muito famosa por representar fielmente as celebridades de todo o mundo. Ela possui a maior coleção de bonecos de cera do do planeta (seria do universo, mas ainda não se tem notícias de outros museus de cera em outros planetas).

Mas, como eles fazem o boneco de cera ficar tão parecido com o artista? Assim:




http://www.jacarebanguela.com.br/?s=museu&sa=

05/10/2012

Artista cria polêmica com Jesus de travesti em versão da 'Última Ceia'

Sérvia - A artista sueca Elisabeth Ohlson Wallin criou uma versão polêmica do quadro "A Última Ceia", de Leonardo da Vinci. Na adaptação com temática gay, Jesus está de vestido e salto alto.

Versão de 'Última Ceia' traz Jesus de vestido e salto alto | Foto: Reprodução Internet

Segundo o jornal The Sun, a exposição foi aberta com um grande aparato de segurança, uma vez que protestos contra a obra começam a surgir.

Temendo mais problemas, as autoridades de Belgrado (Sérvia), onde a obra está exposta, cancelaram uma parada gay que estava com data marcada para acontecer na cidade.

http://odia.ig.com.br/portal/mundo/artista-cria-pol%C3%AAmica-com-jesus-de-travesti-em-vers%C3%A3o-da-39-%C3%BAltima-ceia-39-1.498159


04/10/2012

Grupo Femen no Museu do Louvre

Grupo Femen escolhe obra do Museu do Louvre como cenário de protesto
As jovens tiraram a blusa em frente à estátua da Vênus de Milo para protestar contra um estupro na Tunísia.
Confira o Vídeo!

Ocorreu um erro neste gadget