12/09/2012

A de anarquia: as coleções como ferramenta de resistência à opressão no quadrinho V de vingança (livro)

Pois é gente, sabemos o quanto é complicado escrever uma monografia, e todos os contratempos que ela demanda. Por isso fui orientado e fazer sobre um tema que fosse de meu interesse. Sempre curti histórias em quadrinhos e tentei dar um jeito desse negócio se encaixar com museologia. Até que um dia as musas e Allan Moore me iluminaram, e percebi que existiam algumas conexões interessantes entre o V de vingança e a área. E como se trata de um herói anarquista, nada mais plausível do que me aprofundar nesta temática. O resultado virou monografia, que agora virou livro pela Rizoma editora que me procurou. Aliás, recomendo os outros títulos da editora que tem por base livros de temática libertária.

Abaixo fiz um recorte e cola do resumo do trabalho:

Em V de Vingança, obra de história em quadrinho criada na década de 1980 por Alan Moore e David Lloyd, um Estado ditatorial tem o seu poder confrontado por codinome V, um herói com princípios anarquistas que procura vingança contra as ideologias autoritárias. Dentro deste Estado de liberdades limitadas, esse herói tem como arma uma coleção obtida através do roubo. Tentamos compreender o surgimento de coleções dentro deste contexto específico e o seu significado como ferramenta de combate à ditadura. Brochura com 51 páginas, no formato 14x21cm.


Um comentário:

Ocorreu um erro neste gadget