13/10/2010

espaço Nilton Santos

A festa preparada no Engenhão em virtude do Dia das Crianças foi um grande sucesso. Cerca de três mil pessoas foram nesta terça-feira ao estádio. Os anfitriões do evento denominado de Turma do Papai Joel, foram os jogadores Somália, Herrera, Caio e Renan.
Às 6h30, o representante comercial Dílson Valentim já estava presente na fila com sua filha Maria Eduarda, de sete anos, ansiosos para o evento que se iniciaria com meia hora de atraso, às 9h30. Primeiros a entrar no estádio, ambos deslumbrados ao conhecer o espaço Nilton Santos e as conquistas do ídolo alvinegro. Ao entrar no gramado pelo vestiário, mesmo caminho que é usado pelos jogadores nos jogos, se emocionaram.


- Parabéns ao marketing do Botafogo que convenceu essas crianças a vir aqui. Está sendo resgatado a juventude. Viemos para conhecer o estádio, para pisar no gramado e sentir o clima do clube. Com certeza está valendo todo o esforço de ter acordado bem cedo - afirmou o torcedor Dílson Valentim ao LANCENET!.
Dentro do estádio, os torcedores tiveram acesso ao espaco Nilton Santos, onde os adultos ficaram mais empolgados vendo as conquistas daquele que é um dos maiores ídolos alvinegro e considerado maior lateral-esquerdo do futedol mundial.


Depois, as crianças se divertiram na sala de imprensa, quando chegaram a imitar o técnico Joel Santana dando entrevistas.
- Vou botar o Tulio Souza no time titular - brincou uma das crianças.
No vestiário, na sala de aquecimento e depois no gramado. Momentos mágicos para os torcedores, não só mirins, mas de todas as idades. O clímax foi quando chegaram no gramado, e assim foram recebidos por Somália, Herrera, Caio e Renan. Dos quatro jogadores, Somália foi o mais assediado. Atônitas, as crianças preocuparam o volante alvinegro.
- Quem chorar, vai para o final da fila - brincou Somália. O jogador fazia uma piada para cada criança que abraçava e dava autógrafos - Tem que ter disposição de jovem - indagou.
As crianças ainda se esbaldaram em um parquinho montado em uma das arquibancadas do estádio. Foi com certeza um dia inesquecível para todos os presentes. Pais, filhos, jogadores. O dia das crianças foi especial para o Glorioso.

Um comentário:

  1. O lance de se criarem espaços de memória, e ou museus propriamente ditos, ligados a times de futebol, vai habituando crianças e pessoas, q normalmente ñ visitariam museus, a ser instigados a conhecer outros. Tomara, q cada clube brasileiro crie o seu museu, oportunizando assim, campo para trabalhadores de museus, entre os quais o museólogo.

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget