04/05/2011

Acervo do Museu do Trem (RJ) é o mais novo patrimônio cultural do Brasil

04/05/2011
O Acervo do Museu do Trem, uma das maiores referências da memória ferroviária do país, foi tombado pelo Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural, na última terça-feira, dia 3 de maio, em Brasília, na primeira reunião de 2011. Os trabalhos de inventário foram realizados por equipes multidisciplinares do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan, ao longo de mais de uma década, quando foi publicada a notificação do processo de tombamento da coleção, medida que resultou em sua proteção provisória pelo poder público federal.
Com mais de mil itens considerados de valor histórico, o acervo abrange equipamentos ferroviários, utensílios, mobiliário e até locomotivas como a Baroneza, construída na Inglaterra, movida a vapor e a primeira a trafegar na estrada de ferro de Petrópolis. Outros destaques são um vagão usado pelo ex-presidente Getúlio Vargas e outro onde viajou o Rei Alberto, da Bélgica, quando esteve no Brasil em visita oficial, em 1922.

O Museu do Trem situado no bairro do Engenho de Dentro, no Rio de Janeiro, abrigou o maior conjunto de Oficinas de Locomoção da América Latina, que ajudou inclusive na formação daquele bairro. A sua coleção, prestes a ser devidamente preservada, por conta de seus valores históricos e culturais, pertencia à RFFSA, extinta em 2007.

Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural
O Conselho que avalia os processos de tombamento e registro de bens do patrimônio cultural brasileiro, presidido pelo presidente do Iphan, Luiz Fernando de Almeida, é formado por especialistas de diversas áreas, como cultura, turismo, arquitetura e arqueologia. Ao todo, são 22 conselheiros de instituições como Ministério do Turismo, Instituto dos Arquitetos do Brasil, Sociedade de Arqueologia Brasileira, Ministério da Educação, Sociedade Brasileira de Antropologia e Instituto Brasileiro de Museus – Ibram e da sociedade civil.

Mais informações
Assessoria de Comunicação Iphan
comunicacao@iphan.gov.br
Adélia Soares – adelia.soares@iphan.gov.br
Daniel Hora – daniel.hora@iphan.gov.br
(61) 2024-6187 / 2024-6194

Assessoria de Imprensa Iphan/RJ
Chico Cereto - chicocereto@uol.com.br
Ricardo Portugal
(21) 2233-6334 / 91277387

www.iphan.gov.br / www.twitter.com/IphanGovBr

Fonte: Imprensa Iphan/RJ

3 comentários:

  1. FREQUENTAMOS ESTE MUSEU NO SEU PERÍODO ÁUREO, QDO ERA DIRIGIDO PELA MUSEÓLOGA TELMA LASMAR, ATUAL PRESIDENTE DO NOSSO COFEM - CONSELHO FEDERAL DE MUSEOLOGIA. ESPERAMOS Q AGORA TUDO ENTRE NOS EIXOS E Q O MUSEU Ñ SAIA + DOS TRILHOS.

    ResponderExcluir
  2. é sério aquele prédio cheio de mato e todo destruido é um museu? funciona mesmo? é dificil acreditar!

    ResponderExcluir
  3. Já visitei o museu anteriormente.O seu acervo é pequeno,mas de valor histórico inestimável.Moro no Engenho de Dentro e passo frequentemente na porta do museu.Hoje se encontra fechado e me parece sem manutenção.É preciso agir logo para que o pior não aconteça.

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget