05/04/2012

História do rock invade a Oca, em São Paulo

‘Let’s rock: a exposição’ traz acervo de fotografias, documentários e shows

Uma seleção de mais de 70 fotos do americano Bob Gruen, um dos principais fotógrafos da cultura pop, está na exposição 'Let's rock', na Oca, em São Paulo Divulgação

SÃO PAULO - Uma boa dose de caos é necessária para abrigar num museu seis décadas de rock’n’roll. Fotografias, documentários, shows, palestras, interatividade e uma seleção de objetos que ajudam a contar a história do gênero musical estão reunidos em "Let’s rock: a exposição", aberta nesta quarta-feira ao público em São Paulo, na Oca do Parque do Ibirapuera.

— Não tivemos a pretensão de contar a história do rock. Para isto precisaríamos de umas dez Ocas e muitos anos de curadoria. Quis me aproximar da experiência um pouco caótica de uma loja de discos, onde o público pode descobrir algo novo ou simplesmente encontrar aquilo que já conhecia ou queria — explica José Antônio Algodoal, curador da exposição que ficará em cartaz até 27 de maio.

Algodoal se surpreendeu com a disponibilidade de colecionadores, como os brasileiros Marcel Castro e Marcos Malagoli, e de músicos para ceder material para a exposição. O curador destaca alguns itens que devem chamar a atenção de fãs:

— Uma calça de pijama de Elvis Presley e dois de seus livros de cabeceira, figurinos do Faith No More, emprestados pela própria banda, a máquina de pinball do The Who (da música "Pinball wizard", da ópera-rock "Tommy") e uma gravação pirata dos Arctic Monkeys. Entre os instrumentos, temos a primeira bateria de Iggor Cavalera, o baixo em formato de violino de Paul McCartney e aquele que reproduz um machado de Gene Simmons, do Kiss.

Uma grande exposição de mais de 200 fotografias ocupa o subsolo do prédio projetado por Oscar Niemeyer. São registros dos brasileiros Otávio Souza e Marcelo Rossi, além de — o ponto alto desta parte da mostra — uma seleção de 75 fotos do americano Bob Gruen, considerado o maior fotógrafo do rock. Cheio de boas histórias para contar, ele participa, hoje e sexta-feira, às 15h, de um encontro com o público.

— Escolhi minhas fotos favoritas, como as da visita à Estátua da Liberdade com John Lennon e as da turnê de ônibus pelos Estados Unidos com o Clash que acompanhei — conta Gruen, que mesmo depois de 40 anos de carreira preserva o entusiasmo de principiante. — Um fotógrafo de rock deve trabalhar duro e ter muita paciência. Ajuda ser fã da música. Mas a amizade com os músicos faz toda a diferença, pois tenho a oportunidade de passar mais tempo com eles.


http://oglobo.globo.com/cultura/historia-do-rock-invade-oca-em-sao-paulo-4486159

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget